PRINCIPAL EVENTOS
APRESENTAÇÃO
ARTE
CULTURA
LITERATURA REGIONAL PROJETO ABCERRADO LIVROS
REVISTAS
ARTIGOS
PESQUISAS

MÍDIA/CONTATO
EQUIPE





 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


MAPA DO TRAJETO

 

 

 


 

“GOYAZ – GUIA DE CARTOGRAFIA HISTÓRICA”

No horizonte de suas atribuições, o Arquivo Público do Distrito Federal constatou a necessidade de identificar, localizar, digitalizar e agregar ao acervo  sob sua custódia, fontes que permitissem a compreensão da história da nova capital dentro de uma perspectiva de história longa, de tal forma a conhecer o complexo contexto cultural das cidades e da região escolhida para a construção de Brasília. Esta capital não foi construída num sertão vazio, mas dentro do território de Goiás, sendo que, para a adequada compreensão da história do Distrito Federal tornou-se necessária, também, a compreensão da história de Goiás. 

 

De Mestre D'Armas a Planaltina

Reflexão histórico-crítica
sobre a fundação da cidade

Elias Manoel da Silva
(historiador do Arquivo Público - DF)

 

O Pintor das Águas
Otoniel Fernandes Neto

 

 

O Uso Social do Espaço Público
no Brasil Colonial

Belisa Mendes Evangelista

 

 

FESTA DO CARRO DE BOI PLANALTINA/DF

REALIZAÇÃO: ASCAPE

VÍDEO:LC/PRODUÇÕES

 

O relógio e a saga do tempo:
a importância do existir das coisas

Padre Joacir d'Abadia

Nada que existe passa despercebido por seu próprio existir. Não que tudo que existe tenha consciência de sua existência, mas somente pelo fato de existir já dá, não a outros, mas a si mesma, a sua importância. Nesse contexto, entra um fato que não teve se quer uma reação em si mesmo. Era um relógio marcador de pontos.

Fonte: ESCAMBAU
Cultura, Arte e Tudo Mais

     Nestes últimos "cataclismos da fé" enxergamos um verdadeiro desfilar de uma história que felizmente poderia ter sido evitado se realmente estivessem, cada qual sendo aquilo, e, tão somente o que foi chamado a ser.

 

VÍDEOS
CULTURA CERRATENSE

CAÇADA DA RAINHA
ALTO PARAÍSO/GO


REALIZAÇÃO: PARÓQUIA DE ALTO PARAÍSO

 

1ª ODE REP
Olimpíada de Desenho e Redação em
Escolas Públicas de Planaltina-DF

50 Anos da ESECAE – As Águas Emendadas (1968-2018) e a Contribuição Socioambiental de Planaltina para evitar Crise Hídrica até o Centenário de Brasília em 2060

 

CAMINHOS DA CAPITAL DO BRASIL

Ivany Câmara Neiva

O artigo “Caminhos da capital do Brasil” tem como objetivo sugerir a construção, neste século XXI, de roteiros a partir da memória de itinerários percorridos pela Subcomissão de Investigações Agronômicas da Comissão de Estudos para Localização da Nova Capital do Brasil. Essa Subcomissão fazia parte da Comissão conhecida como Polli Coelho, e em 1947 e 1948 visitou a região do sudeste goiano – parte do sertão do Brasil Central onde foi construída a capital brasileira.

 

FEIRA DO TROCA
OLHOS D'ÁGUA

ARTESANATO DE MINAS
HELENA DE TROYA

 

 

MEMORIAL DOS CERRATENSES

FOLDER EM PDF

 


Projeto Abcerrado - Mestre Pau Pereira

 

 

Thaís Veiga Brandão e

Rommel Dias Marques Ribas Brandão

Mais especificamente em Vila Boa, é marcante a existência de becos sem saída, bem mais próximos do adarve (do árabe ad-darb) do que qualquer elemento urbano ocidental, muito embora não se possa dizer que o traçado urbano da vila seja espelhado no modelo árabe, visto que neste o conjunto de tortuosas ruas forma um emaranhado labirinto. Segundo Goitia, o adarve seria a negação da rua como valor estrutural, pois: “não tem saída, não tem continuação, não serve a interesse público, mas sim a interesse privado, o do conjunto de casas em cujo interior penetra para que elas tenham entrada”.

 

 

PROJETO
"NA TRILHA DA MISSÃO CRULS
"

EVENTOS PROJETO
"NA TRILHA MISSÃO CRULS"

 

 

TEM QUE TER OLHAR DE ARTISTA: COMPARTILHANDO, EMENDANDO ÁGUAS- AS ÁGUAS EMENDADAS, NO DISTRITO FEDERAL

Ivany Câmara Neiva

 

 


 

BREVE HISTÓRICO DE PARACATU -MG

 

 

 

 

 

Lembrei-me do grão
 azul marítimo - verde celeste - cinza de fênix renascida-
que um dia sorriu pra mim. 
Dentes sobravam..
Sonhos Também.
Nem mais a dor, a angústia. 
Aflição. 
Seu grão ilumina.
Você é luz que reluz aqui,  além. 
Será trama,  tramoia de extraterrena?!
Seu grão.
Seus grãos.  
Os mais bonitos que os meus tão (a)normais
Já cruzaram no existir.
Seu grão:
Minha admiração. 

IVB. Dez/2014

 

História oral e relações de gênero na contemporaneidade: vozes dissonantes

Anais do XI Encontro Regional de História Oral
do Centro-Oeste

 

O Pintor das Águas
Otoniel Fernandes Neto

 

Mensagem do Profeta de Marco Orsini

Muito se tem falado sobre o Profeta Gentileza. Porém, é importante não esquecermos das abordagens do campo das ciências sociais que tratam de personagens como ele, principalmente da Antropologia. São notáveis as observações registradas pelo antropólogo Gilberto Velho e publicadas em livro de sua autoria sob o título Desvio e Divergência . Alí percebemos a possibilidade de identificar o Sr. José Datrino entre aqueles indivíduos que manifestaram comportamentos desviantes em função de leituras divergentes dos códigos que compõem a estrutura sócio-cultural do contexto em que vivem.

 

CAVERNAS DE SÃO DOMINGOS/GO

Exposição de Fotos de Marcelo Peregrino
Material  enviado por Evandro Crystiano

 

BRASÍLIA, O LAGO PARANOÁ
E O TOMBAMENTO:
Natureza e especulação na cidade modernista

Marco Antônio dos Santos

Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Arquietura e Urbanismona Área de Teoria e História da Arquitetura - Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo, como exigência para obtenção do Título de Mestre em Arquitertura e Urbanismo.
Orientador: Prof. Dr. Luiz Antônio Recamón Barros

Em 1987, o conjuto arquitetônico e urbanístico de Brasília foi
declarado patrimônio histórico da humanidade pela UNESCO.
Tal fato relacionou-se diretamente com a preservação das
características específicas do plano original de Lúcio Costa
e com a preocupação em relação às descaracterizações
que este vinha sofrendo desde a inauguração
da cidade em 1960.

 

Heloísa Helena de Carvalho
Cerrado, te quero bem

 

 

Lívia dos Reis Amorim

Árvores na Trilha
do Ecomuseu

VIVEIRO DE MUDAS NATIVAS DA ESCOLA CLASSE CÓRREGO DO MEIO: PLANTIO DE ÁRVORES NAS TRILHAS DO ECOMUSEU PEDRA FUNDAMENTAL

“A cultura está estreitamente vinculada à formação humana, sendo assim o processo educativo não se restringe apenas ao espaço escolar, ele é construído
durante a vida social”.

O CERRADO - MEU, SEU, NOSSO: CUIDEMOS!

 

As Primeiras Descobertas dos Cerrados Centrais 
Paulo Bertran


Revista Humanidades - Ed. UnB

"Dentro da América plural, observa-se o descobrimento expandido, chegando ao cerrado. Os mares a navegar são substituídos pela vegetação do interior do Brasil. O Novo Mundo é o Eldorado. As bandeiras fazem as vezes das caravelas. Com isto o expansionismo europeu crava seus dentes na mata.Produzindo as primeiras experiências de povoamento da Terra de Santa Cruz"

 

 

O CENTENÁRIO DO DISTRITO DE SERRA DAS ARARAS, EM CHAPADA GAÚCHA-MG, NO CONTEXTO DOS 140 ANOS DA EMANCIPAÇÃO DE SÃO FRANCISCO-MG

XIKO MENDES

  Na bacia hidrográfica do rio Urucuia, na interseção Norte-Noroeste de Minas, não há dúvida de que o marco zero da colonização portuguesa foi São Romão cá em cima; e Morrinhos lá embaixo (hoje na zona rural de Matias Cardoso-MG, na barra do rio Verde Grande, que nasce ali “prá riba”, pelas bandas de Montes Claros-MG). Fincada nas barrancas do lado esquerdo do médio São Francisco, uns 30 Km acima da barra do Urucuia, São Romão virou sede de julgado lá no distante 1719, segundo o historiador Diogo de Vasconcelos.

 

"QUANDO AQUI ERA SERTÃO": FAZENDAS DE PLANALTINA ANTES DA INSTALAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL (1872-1960)

Diego Rodrigues Matos

O presente trabalho tem como objetivo apresentar um quadro geral do que era, antes da inauguração de Brasília, a região norte do atual Distrito Federal, que até então correspondia ao município goiano de Planaltina, abordando, em particular, a estrutura fundiária, as características de suas fazendas, suas principais atividades produtivas e as bases econômicas do município. O estudo faz um recuo ao século XVIII, quando se formaram as primeiras sesmarias da região, e depois se concentra no período entre 1872 e 1960 – ano da inauguração da nova Capital.

 


Flor do pequizeiro

 

 

NOSSO CERRADO

PROF. ADOLFO FUICA

 

FLORES DE GOIÁS - BREVE HISTÓRIA

 

https://peticoes.socioambiental.org/nenhum-quilombo-a-menos#.WX3bcBm9bSo.facebook

 

 

 

TROLLERS SUBINDO
O BURACO DA DISCÓRDIA


TRILHA TABOQUINHA - DF

 

Publicado em 11 de julho de 2017

TRILHA RIACHINHO - DF
VEREDAS OFFROAD-TROLLER

Produção:Luiz Carvalho

 

PRA CONSTAR
PlanaltinoDFcom fé sou
Luis Felipe Vitelli

 

CONHEÇA O SIGNIFICADO DA
LOGOMARCA DO SITE CERRATENSE



O Cerratense agora tem ISSN

O Cerratense virou portal e agora está
credenciado a  publicar pesquisas científicas
e artigos acadêmicos,  pois  acaba de obter
o ISSN  - International Standard Serial Number
(Número Internacional Normalizado para
Publicações Seriadas).

A história, literatura e o meio ambiente
do Planalto Central do Brasil são os
 temas de pesquisa do Portal , especialmente
a região de influência do Distrito Federal.

Os interessados em publicar seus trabalhos
poderão encaminhar os arquivos para
  sitecerratense@gmail.com

PORTAL CERRATENSE
ISSN -  2447-8601

 

 

Voltar ao Topo

 

Copyright © Portal Cerratense - 2018 - Todos os direitos reservados.
ISSN -  2447-8601